Notícias
01/agosto/2017 - Avianca, Air France, Delta e Iberia suspendem voos na Venezuela

A companhia colombiana Avianca, a francesa Air France, a americana Delta Airlines e a espanhol Iberia decidiram suspender todos os voos de e para a Venezuela. A situação de segurança no país é crítica e não aponta para melhora diante de um governo ditatorial.

A Avianca divulgou comunicado em seu Facebook, em que afirma que “diante das limitações operacionais registradas nas últimas horas, a Avianca se vê obrigada a suspender imediatamente suas operações na Venezuela, e não a partir do dia 16 de agosto como estava previsto. Isto inclui o fim das vendas de passagens nas rotas que conectam Caracas com Bogotá e Lima”. A companhia reiterou que irá devolver 100% dos bilhetes já reservados.

A Delta, por sua vez, não permite mais reservas para os voos 781 e 802, respectivamente ida e volta, da rota entre Atlanta e Caracas, operada pelo Boeing 737-700 da companhia. Segundo o site RoutesOnline, a companhia deve encerrar o voo no dia 23 de setembro.

Segundo a revista Airways Magazine, a Air France suspendeu os voos nos dias 28, 29, 30 e 31 de julho, e na terça dia 1º de agosto – dias nos quais o governo venezuelano proibiu a realização de protestos no país “para que não seja atrapalhado o processo eleitoral da nova Assembleia Constituinte”.

A Iberia cancelou o voo de último sábado, dia 28, também devido à constituinte, e segundo a assessoria de imprensa da companhia, o próximo voo que é na quarta dia 02, está mantido. A empresa opera três voos por semana entre Caracas e Madri.

Com a decisão da Avianca, apenas as companhias Wingo, Avior e TAME estão operando voos entre Venezuela e Colômbia, sendo que a TAME já suspendeu vendas pelo website e deve encerrar a rota em breve. Outras companhias estrangeiras que continuam a operar no país são a Air Europa, American Airlines, Copa Airlines, Cubana, LAW, TAP Portugal e Turkish Airlines.

Situação crítica

O principal motivo para a suspensão dos voos de diversas cias aéreas para a Venezuela nos últimos tempos é a clara crise financeira e as medidas anti-mercado do presidente e ditador Nicolás Maduro. O país passa por constante falta de abastecimento e falta de segurança. Mas o principal motivo o qual as aéreas pararam de operar para a Venezuela é o bloqueio da retirada de dinheiro por empresas estrangeiras, feito pelo governo venezuelano, impedindo que as aéreas tenham acesso ao lucro bruto gerado pelas passagens comercializadas em bolívares venezuelanos. Fonte: AeroIn



01/agosto/2017 - Emirates destaca participação de aviadoras durante desafio de simulador

Shaesta Waiz, fundadora da Dreams Soar Inc, e Bakhita Al Muheiri, primeira oficial de um Boeing 777 da Emirates Aviation College

Reconhecendo a importância da contribuição feminina para o crescimento e o desenvolvimento da aviação, a Emirates recebeu recentemente Shaesta Waiz para um desafio de simulador do Boeing 777 em sua sede em Dubai. Shaesta é a fundadora e piloto da Dreams Soar, Inc. (DSI), organização sem fins lucrativos cuja missão é inspirar e capacitar jovens aviadoras para integrarem a nova geração do setor STEM (da sigla em inglês, Ciência, Tecnologia, Engenharia e Matemática) e de profissionais de aviação, por meio de uma missão global de divulgação. A ação resultou em uma missão global de voo solo, na qual Shaesta está pilotando um monomotor Beechcraft Bonanza A36 que percorrerá o globo. A primeira das 34 paradas ocorreu em Dubai, em uma viagem que passará por 18 países em cinco continentes, e que totalizará quase 47 mil quilômetros após a conclusão.

Shaesta frequentou a Emirates Aviation College, onde conheceu Bakhita Al Muheiri, primeira comandante do Boeing 777 da Emirates, e testou suas habilidades aéreas em um simulador do Boeing 777. Bakhita é considerada uma das mais jovens pilotos da Emirates, com apenas 24 anos. Ela conquistou este posto em 2016, acumulando mais de 1,1 mil horas de voo após completar o Programa Nacional de Cadetes Pilotos da companhia. Após um rápido briefing, Shaesta e Bakhita iniciaram o desafio de simulador no cockpit do Boeing 777, decolando, aterrissando e pilotando em cada jornada designada. Assista aqui às suas experiências a bordo do simulador do Boeing 777.

Adel Al Redha, vice-presidente executivo e diretor de operações da Emirates, comentou: “Por meio do nosso Programa Nacional de Cadetes Pilotos, queremos aumentar o número de pilotos mulheres para a próxima geração, criando um ambiente que as retenha, acolha e valorize para que possam progredir e assumir um papel mais amplo dentro da nossa indústria. Também acreditamos que uma das maneiras de suprir a demanda por pilotos nos dias de hoje é explorar o pool de talentos femininos e inspirá-las a seguir suas carreiras na aviação, considerado um dos campos profissionais mais recompensadores.”

Bakhita Al Muheiri também comentou sua experiência no simulador junto com Shaesta: “Fiquei inspirada com a história da Shaesta. Como a primeira piloto civil no Afeganistão, ela demonstrou que o mundo está cheio de possibilidades e que, ao oferecermos às mulheres a diversidade de carreiras no STEM e na aviação, aumentaremos os seus interesses em ingressar neste setor.”

Ao comentar sobre o desafio do simulador do Boeing 777 de motor duplo, Shaesta disse: “Uma aeronave não sabe se você é homem ou mulher, qual é a sua religião ou quais as suas experiências. Ele reage de acordo com o input do piloto. Minha expectativa, desde o momento que passei no simulador do Boeing 777 com Bakhita ouvindo sua história empolgante, e com a Emirates ajudando a abrir caminhos para diversas jovens, é que este modelo seja adotado e inspire nossa próxima geração. Vamos trabalhar juntos e expandir nossos recursos a fim de criar um futuro ainda mais brilhante.”

A equipe feminina de cockpit da Emirates é composta por 24 nacionalidades, cobrindo uma faixa etária que vai dos 20 a 59 anos. A companhia também tem a primeira mulher árabe como capitã do Airbus A380, assim como a mais jovem piloto operando o A380. Além disso, a Emirates emprega mulheres altamente qualificadas que atuam como engenheiras de aeronaves, mecânicas de manutenção de aeronaves e técnicas de reparos. As mulheres também estão presentes em cargos de operações de voo da companhia.

Ainda neste dia, a Autoridade Geral de Aviação Civil dos Emirados Árabes Unidos recebeu Shaesta no Kidzania do Dubai Mall para conversar com jovens e mulheres sobre suas experiências e a respeito do projeto Dreams Soar. Bakhita Al Muhairi e as cadetes Khalid Ali Al Mansoori e Maryam Yousuf Bin Ismail também comentaram sobre suas jornadas na aviação a fim de inspirar as jovens presentes ao evento.

Pela Assessoria de Imprensa da Emirates



01/agosto/2017 - Visa e GOL usam tecnologia para agilizar check-in em seis cidades brasileiras

Os clientes da GOL Linhas Aéreas Inteligentes contam agora com mais uma solução para facilitar o check-in: o Visa Passfirst. De forma pioneira na indústria de turismo brasileira, Visa e GOL implementaram o projeto piloto em aeroportos de seis cidades brasileiras: Porto Alegre, Salvador, Fortaleza, Recife, Rio de Janeiro (Santos Dumont) e São Paulo (Congonhas).

Seu funcionamento é simples. O Visa PassFirst permite que o passageiro que comprou as passagens com cartões Visa utilize o mesmo plástico para realizar o check-in. Ao inserir o cartão no totem de autosserviço habilitado, as informações do passageiro são repassadas automaticamente para o sistema de cadastro, agilizando a retirada do cartão de embarque.

Todos os totens habilitados para receber a tecnologia estão sinalizados conforme imagem abaixo:

Além disso, a GOL também foi a primeira companhia aérea brasileira a implementar o botão do Visa Checkout em sua operação online. Com ele, mais passageiros terão acesso à experiência de compra em poucos cliques, o que tem contribuído para aumentar a taxa de conversão de vendas do varejo no País. O consumidor usa login e senha únicos para efetuar seu pagamento em qualquer um dos sites que aceitem os serviços Visa Checkout, sem a necessidade de reinserir informações como endereço de cobrança, número do cartão ou ser direcionado para outro site para concluir o pagamento a cada compra.

E para celebrar a parceria, as empresas lançam uma campanha promocional que isentará a cobrança do assento especial GOL+ Conforto para os portadores de cartões Visa que pagarem as passagens utilizando o Visa Checkout.

 
Informações pela Assessoria de Imprensa da Gol Linhas Aéreas Inteligentes.



01/agosto/2017 - Viracopos é eleito pela 5ª vez o melhor aeroporto do Brasil

Imagem: Divulgação / ABV Aeroportos Brasil Viracopos.

O Aeroporto Internacional de Viracopos, em Campinas, São Paulo, foi eleito pela quinta vez o melhor terminal aéreo do país na pesquisa de satisfação de passageiros realizada pela Secretaria de Aviação Civil da Presidência da República (SAC/PR). O estudo entrevistou 13.194 usuários, no embarque e desembarque, dos 15 principais aeroportos do Brasil nos meses de abril, maio e junho deste ano. O anúncio foi feito nesta segunda-feira, 31/07.

Na satisfação geral dos passageiros, Viracopos atingiu a maior nota da sua historia desde o início da pesquisa em 2013 com 4,90, em uma escala que vai de 1 a 5. Na pesquisa anterior, realizada no primeiro trimestre de 2017, Viracopos havia ficado na 4ª colocação com 4,47. A média geral dos 15 aeroportos foi de 4,39.

Para o diretor-presidente de Viracopos, Gustavo Müssnich, a avaliação reflete os esforços da equipe em busca da excelência nos serviços prestados. “Recentemente conquistamos o título de segundo melhor aeroporto de cargas do mundo e, mais uma vez, somos escolhidos pelos usuários como o melhor de passageiros do Brasil. Isso demonstra nossa dedicação em fazer a experiência de voar por Viracopos a mais confortável e segura”, disse ele.

“A política de análise da pesquisa de passageiros é a principal ferramenta de Viracopos na gestão empresarial. O passageiro é o foco das nossas atenções”, concluiu o presidente. Na última reunião da AGE (Assembleia Geral Extraordinária), realizada pelos acionistas e que decidiu que o aeroporto vai ingressar no processo de Relicitação, Viracopos deixou claro em nota oficial que “o processo amigável de relicitação busca garantir a adequada continuidade da prestação dos serviços aos usuários”.

Metodologia utilizada

A pesquisa dos indicadores aeroportuários de percepção dos passageiros nos aeroportos é coordenada por equipe técnica da SAC/PR, com o apoio do Comitê Técnico de Desempenho Operacional (CTDO) da CONAERO e da Praxian Consultoria Ltda., empresa contratada pela SAC/PR mediante licitação pública, para a coleta de dados.

A coleta de dados qualitativos consiste na realização de entrevista presencial, por meio de questionário padrão, com os passageiros no embarque e desembarque dos 15 principais aeroportos do país. As perguntas formuladas no questionário contemplam os indicadores como conforto, segurança, serviços e facilidades oferecidos, entre outros.

Ao fim do questionário, o entrevistado ainda avalia sua satisfação geral com o aeroporto, também atribuindo nota de 1 a 5.

Confira os relatórios das pesquisas no site da SAC: http://www.aviacao.gov.br/ 

Informações pela Assessoria de Imprensa da ABV Aeroportos Brasil Viracopos.



01/agosto/2017 - GOL é eleita aérea com melhor atendimento do país, em ranking da Exame

A GOL Linhas Aéreas Inteligentes recebeu um reconhecimento importante. Desta vez, de melhor atendimento ao cliente entre as companhias aéreas do país de acordo com o Ranking Exame IBRC 2016.

Dentre os diferenciais que asseguram a GOL a melhor posição no segmento, destacam-se o modelo de gestão para o call center da companhia, certificado pela metodologia COPC – que garante acesso às melhores práticas do mercado – e a oferta de múltiplos e modernos canais de atendimento, como telefones, chat, e-mail, funcionalidades no aplicativo e mídias sociais (SAC 2.0). A aérea também foi a pioneira no Brasil no atendimento ao consumidor por meio do formato de operação Home Based.

A pesquisa – que está na sétima edição – é realizada anualmente pela Revista Exame, em parceria com o Instituto Brasileiro de Relacionamento com o Cliente (IBRC), para avaliar as melhores e as piores empresas do país no requisito qualidade do atendimento com o cliente. A GOL já esteve presente no Ranking nas últimas edições e agora se posiciona como destaque entre as aéreas brasileiras no segmento Aviação Civil. Da GOL



11/julho/2017 - Cuidados com o motor a pistão

A ausência de sensores de temperatura na maioria das aeronaves antigas explica a elevada ocorrência de panes



As estatísticas de acidentes aeronáuticos do Cenipa (Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos) apontam uma alta incidência de falhas de motores. Em geral, modelos convencionais que equipam pequenas aeronaves. A opinião geral entre mecânicos é que motores a pistão emitem sinais de panes que estão por vir. Vibrações excessivas, funcionamento áspero, falhas ocasionais e a cor interna dos escapamentos podem significar sintomas de que algo não anda bem.

Isso reforça a ideia de que o operador tem como acompanhar a saúde de um motor: manter-se atento a esses e a outros sinais. Uma maneira simples é abrir e inspecionar o filtro retirado de uma troca de óleo. É fundamental certificar-se de que ele não apresenta limalhas significativas. A origem das limalhas é fácil de entender. Dentro dos motores, as partes mecânicas que se atritam são fabricadas em diversos tipos de metal. Se por algum motivo a fricção entre as partes não for mantida a níveis baixos, os metais começam a se decompor. O tipo de material encontrado no filtro dirá de onde vêm as fagulhas. Isso dará condições para que a oficina eleja qual área do motor será inspecionada meticulosamente.

Motor Lycoming

Basicamente, são duas as grandes áreas de desgaste. A primeira é o volume interno do bloco. Lá estão o eixo de manivelas e o eixo de comando de válvulas. O eixo de manivelas é girado pelas bielas, que lhe transmitem a força da explosão do combustível, ocorrido nas cabeças dos cilindros. Esse eixo é grande e bastante resistente, mas está apoiado em partes firmes do bloco por meio de pastilhas arredondadas, chamadas bronzinas. Altos níveis de atrito nesses pontos causam desgastes e folgas que, por sua vez, vão gerar vibrações e podem levar a quebra de componentes internos ou travamento do eixo de manivelas. O mesmo pode acontecer com o eixo de comando de válvulas. Instalado na parte mais alta do motor, é ele que aciona hastes metálicas que vão comandar as válvulas de admissão e escapamento das câmeras de combustão dos cilindros do motor. Na medida em que esse eixo se desgasta, suas dimensões se reduzem e as válvulas deixam de ser abertas na amplitude necessária. Então, o volume de combustível a entrar é reduzido e a mistura já queimada tem dificuldades em sair para o escapamento.

O motor começa a perder força em ambos os casos, e deixa de ter o desempenho que o piloto espera. Esses dois eixos foram dimensionados para resistir a aproximadamente 2.000 horas de operação, período chamado de “tempo entre grandes revisões” ou TBO (Time Between Overhaul). Mas a resistência dos eixos pode diminuir se a operação do avião não acontece como o seu fabricante espera.

Boroscópio

Já foi comprovado que os resíduos de carbono da combustão interna dos motores aeronáuticos a pistão, combinada com a umidade do ar impregnada no óleo, produzem ácidos. O óleo passa a abrigar, então, ácidos, que passam a corroer as partes internas do motor. Para preveni-los, deve-se manter o óleo livre de umidade. Daí a importância de evitar longos períodos de inatividade. A Lycoming orienta os clientes a voarem pelo menos uma hora por mês e, a Continental, uma hora por semana. Independente do uso da aeronave, o óleo deve ser substituído em, no máximo, quatro meses. É comum que alguns operadores se esqueçam desse período, fazendo a substituição apenas a cada 50 horas. Também são frequentes os casos de aeronaves que por restrições administrativas ou submetidas a grandes serviços de manutenção ficam inativas por longos períodos.

O PRÓPRIO OPERADOR PODE CUMPRIR OS PROCEDIMENTOS, QUE SÃO SIMPLES, COMO CORRIGIR CORRETAMENTE A MISTURA PARA O REGIME DE POTÊNCIA EMPREGADO NA ALTITUDE QUE SE PRETENDA VOAR

O maior desgaste, porém, concentra-se na cabeça dos cilindros. Nessa área, ocorrem as sucessivas explosões que provocam a expansão dos gases e o deslocamento dos pistões. O cilindro de um motor que gira com 2.700 rpm, por exemplo, ao longo de 2.000 horas de operação terá sofrido 162 milhões de explosões internas. Os impactos mecânicos provocam elevado estresse no metal, que se estiver fora da temperatura correta, pode sofrer danos prematuros. É conhecida como CHT (Cilinder Head Temperature) e se refere à temperatura da massa metálica da parte superior do cilindro. Um CHT baixo, ainda que reduza os desgastes, não permite uma grande expansão dos gases e deixa o motor fraco. Por outro lado, a elevada temperatura vai causar danos irreversíveis. A válvula de escape sofre deformação nas superfícies de contato com a sede e perde o assentamento. Isso a impede de reter a mistura de ar com combustível durante a fase de compressão. O motor deixa os gases escaparem antes de serem queimados e as explosões se enfraquecem.

Cabeça do cilindro fraturada por elevada CHT: note os resíduos de carbono em cor dourada e o local do termômetro de CHT, ausente na época da falha
Corrosão interna do cilindro causada por longa inatividade

Danos também podem ocorrer à haste da válvula. Se fraturada, libera fragmentos que causam impacto direto no pistão. O CHT elevado também danifica anéis de segmento e plugues metálicos e pode deformar as superfícies internas do cilindro. Tais danos podem ser identificados com um simples exame de boroscópio. O aparelho é composto de uma minúscula câmera de alta definição, instalada na ponta de uma haste flexível e introduzida na cabeça do cilindro pelo orifício de instalação das velas de ignição. As imagens internas são vistas em um monitor ao lado. Esse exame é muito pertinente àqueles que pretendem adquirir uma aeronave usada.

Para o operador de qualquer aeronave movida a pistão, é fundamental se assegurar que o piloto saiba e cumpra os procedimentos para evitar o CHT elevado. São procedimentos simples, como corrigir corretamente a mistura para o regime de potência empregado na altitude que se pretenda voar. Os manuais de operação trazem explicações simples de como o fazer. No entanto, em sua maioria estão escritos em inglês e, para algumas aeronaves, os procedimentos corretos fazem elevar a carga de trabalho do piloto. Este, por sua vez, só pode monitorar o CHT se a aeronave possuir sensores de temperatura. Mas a maior parte delas não tem. Isso explica a grande ocorrência de panes em motores de aeronaves antigas.

O conhecimento do funcionamento e de técnicas de operação de motores aeronáuticos deve ser do interesse de qualquer pessoa envolvida com a operação aérea. Antes de tudo, é um bom investimento na obtenção de produtividade e segurança.

Fonte: http://aeromagazine.uol.com.br/artigo/cuidados-com-o-motor-a-pistao_332.html#ixzz4mX1qjGNo 

 



11/julho/2017 - Veterano DC-3 realiza volta ao mundo

Aeronave é a mais antiga em operação a cumprir a circum-navegação

Um veterano Douglas DC-3 está sendo preparado para realizar uma volta ao mundo, se tornando a aeronave mais antiga a realizar essa missão. A equipe é patrocinada por um fabricante suíça de relógios para celebrar os 77 anos do DC-3.

O roteiro inclui diversas cidades dos Estados Unidos, inclusive Oshkosh, durante a Air Venture. A aeronave já passou por países da Europa, Oriente Médio e Ásia.

O DC-3 indiscutivelmente mudou a história da indústria aeronáutica, se tornando o avião comercial mais popular da história. A aeronave utilizada no voo pertenceu à American Airllines em 1940, antes de ser convocada para servir no Exército dos Estados Unidos, operando de 1942 a 1944

Como aeronave comercial acumulou 74.500 horas de voo. Sua restauração foi realizada por um grupo de entusiastas e tem se apresentado em diversos shows aéreos no mundo.

Fonte: http://aeromagazine.uol.com.br/artigo/dc-3-realiza-volta-ao-mundo_3588.html#ixzz4mX17FzUK 



11/julho/2017 - Por que o futuro dos jumbos se tornou incerto

A380 e 747-8 podem virar história se Airbus e Boeing não conseguirem reverter vendas

No início dos anos 2000, Airbus e Boeing travavam uma guerra de conceitos. Os europeus passaram a apostar no mercado de super jumbos, enquanto os norte-americanos, após desistirem do 747-500X e 747-600X, alegavam que o futuro estaria nos bimotores de grande porte.

Com o lançamento oficial do programa A380, a Boeing ciente que não dispunha de um projeto capaz de concorrer com o gigante de Toulouse, lançou o até hoje mal explicado Sonic Cruiser, um avião com capacidade similar à do 777-200, mas que seria capaz de voar próximo à velocidade do som. O projeto anunciado em 2001 foi encerrado menos de um ano depois, dando lugar ao programa 7E7, que deu origem ao 787.

Enquanto isso, a Airbus avançava no desenvolvimento do A380 e a Boeing optou por lançar uma versão nova do 747, algo intermediário entre os projetos 747X, o que gerou o 747-8, na versão passageiro e cargueiro.

A crise de 2008, assim como a chegada do 787 Dreamliner e do A350 XWB, que se tornaram rapidamente sucessos de venda, com mais de 1.000 encomendas cada um, tornou a vida dos quadrimotores um pesadelo. Com um consumo elevado e a necessidade de aeroportos com maior capacidade de pátio e movimentação de passageiros e carga, os novos jumbos logo perceberam o drama do seu porte avantajado.

A Emirates surgiu como a grande aliada do A380, com quase 100 aeronaves na frota. A Lufthansa arriscou também com o 747-8 Interncontinental, com apenas 19 unidades. Os anos se passaram e a tendência dos passageiros em optar por voos diretos e maiores opções de horário ajudaram a reduzir ainda mais o interesse pelos grandalhões.

Atualmente, a Boeing afirma que poderá encerrar nos próximos meses a produção do 747-8, inclusive a versão cargueira, que vendeu quase 100 aeronaves. A situação do A380 é menos dramática, mas nem um pouco confortável. Sem pedidos a Airbus agora apresenta uma versão com refinamentos e maior capacidade. Batizado de A390plus o modelo dispõe de algumas melhorias, como novos winglets e rearranjo da cabine de passageiros. O problema, todas as soluções oferecidas não atendem as demandas da Emirates, enquanto os questionamentos da empresa árabe não são atendidos pela Airbus.

Fato é que as principais companhias aéreas do mundo deram preferência aos bimotores de grande porte, especialmente ao trio Airbus A350 XBW, Boeing 777-300ER e Boeing 787 Dreamliner.

Talvez aeronaves de dois andares e com capacidade acima dos 400 assentos se torne no futuro algo tão distante quanto voos comerciais supersônicos. A evolução mostra que velocidade e tamanho não necessariamente são documentos que garantem sua sobrevivência. 

Fonte:  http://aeromagazine.uol.com.br/artigo/futuro-incerto-para-os-jumbos_3584.html#ixzz4mX0soK4c 

 



11/julho/2017 - Nova empresa aérea argentina aposta no Brasil

Flybondi pode operar 26 voos entre os dois vizinhos sul-americanos

A empresa aérea low cost Flybondi, da Argentina, possui planos ambiciosos. A empresa que ainda não começou a voar, mas possui concessão do governo para explorar 85 rotas nacionais e internacionais, prevê uma lista com nada menos que 26 voos para o Brasil.

A Flybondi tem uma encomenda para dez Boeing 737-800, configurados com 189 assentos. A previsão é que os quatro primeiros aviões cheguem no próximo semestre, com os demais sendo entregues em 2018.

Embora dependa da aprovação das autoridades brasileiras, a Flybondi espera conquistar a preferência de muitos passageiros, oferecendo serviço simplificado e tarifas consideravelmente menores.

Fonte: http://aeromagazine.uol.com.br/artigo/nova-empresa-aerea-argentina-aposta-no-brasil_3585.html#ixzz4mX06I6rm 

 

 



11/julho/2017 - Jato de negócios com cabine mais alta do mercado faz seu primeiro voo

Capaz de voar sem escalas entre as principais cidades do mundo, novo Dassault Falcon 5X realizou decolagem inaugural com versão preliminar de motores



O novo Falcon 5X da Dassault Falcon Jet acaba de realizar seu primeiro voo decolando da unidade de montagem final de Bordeaux-Merignac, na França. Foram duas horas de voo em que o primeiro protótipo utilizou uma versão preliminar dos motores Safran Silvercrest. Segundo o fabricante, o objetivo dessa campanha de teste é simplificar o processo de desenvolvimento. Os testes de validação e certificação de voo serão realizados no próximo ano, quando a Safran entregará os motores certificados, atendendo às especificações da Dassault. A expectativa é a de que o 5X entre em serviço em 2020.

[Colocar Alt]

 

Com alcance de quase 10.000 km (5.200 milhas náuticas), o Falcon 5X apresenta a maior cabine de sua categoria (capaz de suplantar até competidores ultralongo alcance) com 1,98 m de altura e 2,18 m de largura. São 50 metros cúbicos de cabine, sem considerar bagageiro e cockpit. Tem até uma inédita claraboia com sistema eletrônico de escurecimento. “A cabine do Falcon 5X será a mais alta e a mais ampla da indústria”, garante Eric Trappier, presidente e CEO da Dassault Aviation. “Mesmo assim, a aeronave terá uma capacidade de pouso a uma velocidade de uma aeronave turbo-hélice e ainda um consumo de combustível menor do que qualquer outro jato executivo de sua classe”.

O desempenho do Falcon 5X permitirá ao novo jato operar na maioria dos aeroportos existentes. Com uma velocidade de aproximação de apenas 105 nós, faixa próxima de muitos turbo-hélices, o novo modelo da Dassault possui uma performance praticamente única entre todos os aviões de cabine larga do mercado.

O projeto conta com um novo desenho de asa, com perfil ultraeficiente e sistema de controle de voo digital, similar ao existente nos caças Rafale, assim como uma suíte de aviônicos EASy, no estado da arte. A Dassault sempre se destacou no meio aeronáutico por seus projetos aerodinâmicos, em especial os de asa, que contribuem para melhorar não só o desempenho dos aviões como, também, as características de voo, além de reduzir o consumo de combustível. Entre os destaques das asas do 5X está o novo projeto de perfil supercrítico. Com 33 graus de bordo de ataque, curvatura mais acentuada do bordo de fuga e winglets incorporados ao desenho das asas, o novo desenho tornou a superfície alar mais eficiente. O resultado é uma maior relação entre sustentação e arrasto do que a encontrada em qualquer outro Falcon, o que é um dos trunfos para melhorar a eficiência e a performance.

Os motores Snecma Silvercrest prometem oferecer um consumo até 15% menor, em relação aos atuais motores que equipam versões similares no mercado.  

Fonte: http://aeromagazine.uol.com.br/artigo/jato-de-negocios-com-cabine-mais-alta-do-mercado-faz-seu-primeiro-voo_3586.html#ixzz4mWze2XGO 

 



11/julho/2017 - Gulfstream adiciona o quarto protótipo do G600 ao programa de testes

Gulfstream adiciona o quarto protótipo do G600 ao programa de testes

A fabricante Gulfstream Aerospace anunciou que a quarta aeronave protótipo G600 completou seu voo de estreia pouco mais de seis semanas após o terceiro aparelho do tipo, consolidando ainda mais a confiança no programa. O modelo partiu do Aeroporto Savannah-Hilton Head para um voo de cerca de uma hora e vinte minutos, subindo para uma altitude máxima de 51,000 pés/15,545 metros e atingindo velocidade máxima de Mach .925. A quinta aeronave de teste G600 será transformada em modelo de produção totalmente equipada. Durante as avaliações em voo, a aeronave será usada para validar elementos internos e garantir a integração bem-sucedida dos sistemas com a experiência do passageiro. Até o momento, as quatro aeronaves de teste do programa acumularam mais de 130 operações. A Gulfstream está programada para receber a certificação de tipo da FAA para o G600 em 2018, com entregas programadas para o final do ano.  Fonte: Revista Flap



11/julho/2017 - Raízen investe em plataforma de relacionamento com pilotos de aviação executiva

Raízen investe em plataforma de relacionamento com pilotos de aviação executiva

Empenhada em investir de maneira significativa em levar melhores experiências aos clientes, a empresa Raízen, que licencia a marca Shell no Brasil, traz novidades que contribuem diretamente no relacionamento com os pilotos de aviação executiva. Inédito no setor, o programa oferece inovações que viabilizam melhores resultados seja na redução do tempo e custos operacionais ou no acesso às promoções exclusivas por meio de tecnologias e ferramentas que tem revolucionado a aviação executiva do país. O programa Shell AeroClass conta com um aplicativo único que favorece a rotina dos pilotos, além de oferecer a reconhecida qualidade dos combustíveis e atendimento diferenciado da Shell. O programa de relacionamento foi organizado com foco em três frentes: Solicitação de Abastecimentos, que facilita a rotina do piloto com as solicitações prévias de abastecimento; Informações e Benefícios, que disponibiliza informações relevantes dos aeroportos, promoções e facilidades exclusivos; e Programa de Fidelidade, uma parceria com o Netpoints para pilotos e mecânicos receberem benefícios. Para proporcionar a melhor experiência para clientes que circulam pelos 66 aeroportos em que Shell atua no Brasil, o aplicativo disponibiliza o programa de relacionamento de maneira prática e agilizada. Atualmente, a ferramenta possui mais de 6.000 clientes cadastrados e registrou somente no último mês de abril, cerca de 2.030 operações de abastecimento programadas. O app Shell AeroClass está disponível para smartphones iOS e Android nas lojas de aplicativos e possui um calendário promocional para todo o ano, que sempre disponibiliza promoções exclusivas e muito mais benefícios para os clientes. Mais informações no portal www.raizen.com.br.  Fonte: Revista Flap



08/junho/2017 - Governo decide leiloar aeroportos em seis blocos

Infraero será fatiada e, após concessões, deve ser extinta. Parte dos funcionários vai para a Aeronáutica

BRASÍLIA - O governo já chegou a um desenho definitivo sobre o futuro da Infraero, que prevê a divisão da estatal em seis partes (por áreas geográficas) para agrupar e conceder ao setor privado os 56 aeroportos administrados pela empresa. Quem arrematar um “filé”, como Santos Dumont, por exemplo, levaria também pequenos aeroportos do Rio e Vitoria (ES). No caso de Congonhas (SP), o vencedor da licitação ficaria também com outros terminais paulistas e do estado do Mato Grosso Sul — seguindo o mapa de comandos regionais da Aeronáutica. O Brasil tem cinco regiões, mas a proposta prevê seis, justamente porque as duas joias da coroa (Santos Dumont e Congonhas) estão no Sudeste.

Segundo uma fonte a par das discussões, a ideia é adotar um modelo híbrido de privatização e concessão por blocos de terminais — que resultaria no fim do processo na extinção da Infraero. Já está decidido que a parte de controle de voo (torres) e os 1.900 funcionários desta área serão transferidos para a Aeronáutica, que vai assumir a Nav Brasil — nova empresa pública que está sendo criada — para essa finalidade.

A alternativa proposta para a Infraero é defendida pelos quatro ministros responsáveis pelo setor : Dyogo Oliveira (Planejamento); Maurício Quintella (Transportes); Eliseu Padilha (Casa Civil) e Moreira Franco (Secretaria Geral da Presidência). É a melhor solução do ponto de vista técnico, disse uma fonte envolvida no assunto, porque ela resolve o problema da Infraero (que é deficitária), dos funcionários e dos investimentos. Também deve gerar uma receita estimada em R$ 50 bilhões para a União, considerando pagamento de outorgas e impostos.

Com a entrega de aeroportos ao setor privado, a Infraero perdeu receitas e passou a acumular resultados negativos — o que exige aportes seguido do Tesouro Nacional para fazer investimentos. A empresa também ficou com excesso de pessoal. Depois de um lucro de R$ 114,6 milhões em 2012, quando iniciou o processo, a estatal apresentou prejuízos nos anos seguintes, de R$ 2,6 bilhões (2013); R$ 2 bilhões (2014); R$ 3 bilhões (2015) e R$ 751,7 milhões em 2016. Os dados são da própria estatal.

APRESENTAÇÃO A INVESTIDORES NA FRANÇA

A empresa também tem excesso de funcionários: são atualmente 10.892 empregados. Neste ano, a estatal precisa investir R$ 1,65 bilhão na sua rede aeroportuária.

Na noite da última terça-feira, o novo modelo de concessões dos aeroportos foi discutido em uma reunião do Palácio do Planalto, e o martelo só não foi batido por causa da instabilidade política. O governo tem pressa, porque pretende apresentar os ativos aeroportuários brasileiros aos investidores na maior feira aeronáutica do mundo, que acontece entre os dias 19 e 25 de junho em Le Bourget, na França. Haverá uma nova reunião para fechar brechas jurídicas no processo de licitação em blocos de terminais e estabelecer os cronogramas.

Além de Santos Dumont e Congonhas, a avaliação é que a Infraero tem outros ativos atraentes ao mercado como os aeroportos de Curitiba, Recife, Belém e Manaus. Pela proposta que está sendo amarrada, quem arrematar Curitiba levaria pequenos terminais da região Sul; Recife iria junto com aeroportos da região Nordeste; Manaus, terminais do Norte; Belém com terminais do Maranhão e Amapá.

Caso não seja possível fechar o novo modelo integralmente, o governo pretende anunciar parte da proposta na feira: ou seja, pode optar por conceder Santos Dumont e mais três ou dois aeroportos. Precisa ser uma solução que não prejudique toda a implementação no projeto futuramente, explicou um técnico.

— O governo não vai perder a oportunidade de divulgar esses ativos em Le Bourget — disse a fonte.

Um aspecto que ainda pesa na decisão do governo de acabar com a Infraero é o PR, partido da base do governo, que atualmente comanda a estatal. O Ministério dos Transportes, que está acima da empresa, já comprou briga com a Infraero ao vetar a abertura do aeroporto da Pampulha para aviões de maior porte. O entendimento, no entanto, é que essa questão pode ser superada.

CÂMARA DEVE VOTAR LIMITE DE CAPITAL EM AÉREAS

Procurada, a Infraero informou em nota que seguirá a decisão do governo: “sobre as mudanças no modelo de gestão dos aeroportos, a Infraero vai seguir as diretrizes determinadas pelo governo federal por meio do Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil”.

Foram concedidos ao setor privado na primeira rodada de concessões os aeroportos de Natal, Brasília, Viracopos (Campinas) e Guarulhos. Na segunda, Confins (MG) e Galeão. Na terceira fase, foram concedidos Fortaleza, Salvador, Porto Alegre e Florianópolis. Nas duas primeiras etapas, na gestão do PT, a estatal permaneceu no negócio, com participação de 49%. No atual governo, a empresa ficou de fora dos consórcios.

Essa era uma recomendação do Tribunal de Contas da União (TCU), que também vem cobrando do Executivo um plano para tornar a Infraero sustentável. Na última rodada de licitações, os novos concessionários ficaram com a responsabilidade de arcar com o custo do plano de demissão voluntária (PDV).

Recentemente, a Infraero foi obrigada a cancelar licitações em curso para conceder ao setor privado terminais de cargas — que seriam separados de vários aeroportos. O Planalto entendeu que a iniciativa poderia inviabilizar futuras concessões.

Em outro movimento de mudança no setor aéreo, está prevista para a próxima semana na Câmara dos Deputados a votação em plenário do projeto de lei que acaba com os limites para a participação de capital estrangeiro nas companhias aéreas. Atualmente, o limite é de 20% do capital com direito a voto. O projeto permite ampliar esse percentual até 100%. De autoria do Executivo, o projeto de lei tranca a pauta, por tramitar na Casa com urgência constitucional. O governo argumenta que o aumento da participação de empresas estrangeiras na aviação civil deixará o mercado mais competitivo e será benéfico para o consumidor.

Fonte: https://oglobo.globo.com/economia/governo-decide-leiloar-aeroportos-em-seis-blocos-21449501#ixzz4jQny1SU4 



30/maio/2015 - PR-ZIJ: O "PROFIT HUNTER" DA EMBRAER

Site AeroEntusiasta ©  AE 016/17

Site Airliners publicou as fotos do protótipo do EMBRAER 195-E2, prefixo PR-ZIJ (cn 19020005), com uma pintura especial, que desde a semana passada circulavam nas rede sociais.

As fotos de autoria de Charin de Silva mostram o jato da Embraer com uma águia aplicada na parte frontal da fuselagem e a frase em inglês "Profit Hunter" (caçador de lucros), com objetivo de apresentar a rentabilidade operacional maximizada da nova família de E-Jets E2.

Segundo informações publicadas em portais de notícias, a aeronave irá participar do Salão Internacional de Aeronáutica em Le Bourget, que acontecerá no próximo mes na França. Além do "Profit Hunter" a Embraer deverá apresentar o KC-390 na importante feira mundial.

>>>  Clique AQUI para acompanhar e comentar este assunto no AeroFórum.

 

 Outras notícias relacionadas com a Embraer:

( Fotos: Charin de Silva © SJK 27/05/2017 )



29/maio/2017 - Aeroporto de Brasília reúne mais de 100 fotógrafos durante o Spotter Day Especial

Aeroporto de Brasília reúne mais de 100 fotógrafos durante o Spotter Day Especial

O evento Spotter Day em comemoração aos 60 anos do Aeroporto de Brasília reuniu um grupo de amantes de fotografia de aviões para uma manhã de muitos registros nas pistas de pousos e decolagens do terminal. O evento aconteceu no último dia 27 de maio, das 6h às 10h e neste período, os spotters puderam registar mais de 100 movimentos aéreos em um ponto exclusivo e restrito do aeroporto, cerca de 300 metros de distância da pista. A ação seguiu todos os protocolos de segurança para o ingresso à área restrita do terminal e foi planejado com o objetivo de proporcionar os melhores ângulos e iluminação para os fotógrafos. Foram ao todo 130 participantes. O fotógrafo com a melhor imagem do dia ganhará um final de semana em Foz do Iguaçu com acompanhante. A hospedagem ficará por conta da Bancorbrás e a passagem aérea será oferecida pela Avipam. As imagens serão lançadas no Facebook do aeroporto para votação aberta. Fonte: Revista Flap



29/maio/2017 - Receita Federal abre novo leilão no Aeroporto de Viracopos

Receita Federal abre novo leilão no Aeroporto de Viracopos

A Receita Federal realiza no próximo dia 31 de maio às 14h, o leilão dos itens apreendidos no Aeroporto Internacional de Viracopos. Pessoas físicas e jurídicas podem participar do evento. Ao todo são 158 lotes. Entre os itens estão componentes eletrônicos, relógios, vestuários, aparelhos celulares, vinhos, drone para topografia, peças para aeronaves, equipamentos de informática e outros. A Receita Federal de Viracopos ressalta que o leilão é eletrônico, havendo a necessidade de o interessado possuir certificado digital bem como Certidão Negativa ou Positiva com Efeitos de Negativa de Débitos Relativos aos Tributos Federais e à Dívida Ativa da União válida na data do leilão e emitida até o dia 30 de maio. Os itens a serem leiloados poderão ser visitados no terminal de carga de perdimento com acesso pela portaria 1. As visitas não precisam ser agendadas. O edital completo e a relação de mercadorias podem ser verificados selecionando-se o edital 0817700/000003/2017, no endereço http://www25.receita.fazenda.gov.br/leilaoEletronicoInterPub/private/pages/visualizarPortalSle/visualizarPortalSle.jsf

 



29/maio/2017 - Airbus Helicopters lança marca dedicada à aviação executiva

Airbus Helicopters lança marca dedicada à aviação executiva

A fabricante Airbus Helicopters anunciou sua nova marca dedicada à aviação executiva durante a sua participação no EBACE 2017. A unidade, identificada pela logo ACH, vai oferecer ao segmento consultoria e design diferenciado, com opcionais e serviços sob medida que vão desde o acabamento do interior da cabine dos helicópteros até serviços exclusivos, atendendo aos requisitos mais exigentes. Espelhando-se na bem-sucedida marca da Airbus Corporate Jets (ACJ), a divisão também fornecerá aos clientes atuais e futuros uma experiência de propriedade exclusiva de ponta a ponta, que inclui desde consultorias que ajudam os clientes a escolher a aeronave certa e a projetar um estilo sob medida, até o serviço de apoio ao estilo concierge que, além de garantir a maior disponibilidade do helicóptero em qualquer lugar do mundo, ajudará a preservar o valor de revenda da aeronave como resultado de um cuidado e apoio dedicados pelo fabricante. A linha dedicada de serviços faz parte da forte atuação do grupo em oferecer cada vez mais disponibilidade das aeronaves, especialmente para o mercado executivo que utiliza o helicóptero com pouca frequência, mas necessita que esteja à disposição quando necessário. Mais informações no portal www.helibras.com.br. Fonte: Revista Flap



29/maio/2017 - Cessna Citation Longitude é apresentado na Europa

Cessna Citation Longitude é apresentado na Europa

A fabricante Textron Aviation está apresentando pela primeira vez na Europa o novo modelo Cessna Citation Longitude durante a Convenção e Exposição da Aviação de Negócios Europeus de 2017 (EBACE). A protótipo em exibição é a quarta aeronave do programa de testes e é o primeiro com um interior totalmente equipado. A aeronave está sendo usada para avaliar sistemas relacionados à experiência geral de passageiros e tecnologias na cabine. Com quatro aeronaves voando no programa de certificação, a empresa já testou vários sistemas e tecnologias ao longo dos últimos oito meses, incluindo aviônicos, estabilidade, manipulação e inovações de cabine. A equipe do programa também completou muitos testes importantes de desenvolvimento e certificação como o de carga final, que avalia as forças máximas que a fuselagem e as asas podem suportar, bem como testes climáticos e ambientais extremos no Laboratório McKinley da EPA, na Florida. A fabricante espera a obtenção da certificação da FAA até o final deste ano, seguida pela certificação da Agência Europeia de Segurança da Aviação em 2018. Fonte: Revista Flap



29/maio/2017 - Clientes do programa Amigo têm descontos de até 40% na compra de passagens para Miami

Clientes do programa Amigo têm descontos de até 40% na compra de passagens para Miami

O programa de fidelidade Amigo acaba de lançar uma promoção exclusiva de passagens aéreas para Miami, destino internacional que será servido em voos diretos de São Paulo pela companhia aérea Avianca Brasil a partir do próximo dia 23 de junho. Pela ação, clientes Gold e Diamond terão descontos de 30% e 40%, respectivamente, em compras realizadas até 2 de junho, para embarques até 31 de agosto deste ano. As ofertas são concedidas para bilhetes em nome do titular da conta Amigo destas categorias e estendidas para um acompanhante. A promoção é válida para passagens de ida ou volta, em cabines executiva ou econômica, com compras realizadas apenas pela Central de Vendas da empresa (4004-4040 ou 0300-789-8160). As operações serão feita com aeronaves Airbus A330-200, configuradas para transportar 238 passageiros. Fonte: Revista Flap



29/maio/2017 - TAP é eleita a Melhor Companhia Aérea nos prêmios Marketeer

TAP é eleita a Melhor Companhia Aérea nos prêmios Marketeer

A TAP Portugal esteve em destaque na 9ª edição dos Prémios Marketeer, cuja cerimónia decorreu recentemente no Convento do Beato, em Lisboa. A publicação atribuiu à TAP o prêmio de “Melhor Companhia Aérea” pelo trabalho que desenvolveu em Portugal na área do Marketing, Publicidade e Comunicação, durante o ano de 2016. Este prémio tem para a TAP uma importância acrescida, uma vez que a seleção e votação tem como base a opinião de profissionais do setor, num momento em que a empresa aposta em novas formas de comunicação com o cliente, mais simples, mais ágeis e de maior proximidade e envolvimento. A TAP já havia sido destacada nos eventos anteriores da Marketeer, tendo já ganho o prêmio de “Melhor Companhia Aérea” na área do Marketing, Publicidade e Comunicação em 2012, 2014 e 2015. Fonte: Revista Flap



29/maio/2017 - Swiss recebe a primeira aeronave CSeries 300 da Bombardier

Swiss recebe a primeira aeronave CSeries 300 da Bombardier

A fabricante canadense Bombardier anunciou que a companhia aérea Swiss recebeu a primeira aeronave CS300 nas instalações em Mirabel, onde são fabricados os aviões do tipo. Dessa forma, a operadora se tornará a primeira a utilizar as duas versões da Série C. O modelo alongado está programado para entrar em serviço na companhia em 1º de junho próximo transportando passageiros na rota de Genebra para Londres/Heathrow. A Swiss receberá um total de 30 aviões CS100 e CS300. Doze jatos da série C já foram entregues pela Bombardier até agora, nove das quais foram entregues à Swiss. Outras três aeronaves CS300 estão atualmente em operação com AirBaltic. Fonte: Revista Flap



29/maio/2017 - Rio de Janeiro terá voos da Qatar para Doha

Rio de Janeiro terá voos da Qatar para Doha

A concessionária RioGaleão confirmou que em janeiro de 2018, a companhia aérea Qatar Airways ligará o Aeroporto Tom Jobim a Doha, no Catar, país sede da Copa do Mundo de 2022, com quatro operações semanais. O voo inaugural da nova rota sairá de Doha para o Rio com previsão de chegada às 17 horas do dia 30 de janeiro do próximo ano. Os voos de partida serão às 5h45 nas segundas, quartas e sextas-feiras, além dos sábados. As chegadas de Doha ocorrerão nas terças, quintas, sextas-feiras e aos domingos. A Qatar utilizará nas operações o modelo Airbus 350-900, que conta com 283 assentos disponíveis. Por semana, a ida e volta desta nova frequência movimentará uma média superior a 2.200 viajantes. Para completar a viagem, a companhia ainda irá operar a frequência entre Rio de Janeiro e Santiago, no Chile, disponibilizando mais uma opção aos passageiros cariocas e conexões na América do Sul. Fonte: Revista Flap



23/maio/2017 - Pilatus inicia a produção do jato de negócios PC-24

Primeira entrega está planejada para o quarto trimestre

A sede da Pilatus Aircraft em Stans, Suiça se mobilizou para iniciar a produção do novo bimotor para entrega ao primeiro cliente no quarto trimestre do ano, logo após a certificação. A sequência das etapas para os primeiros PC-24 está bem delineada: o primeiro jato de produção foi pintado em janeiro, tendo a PlaneSense como cliente de lançamento.   

Enquanto isso, o terceiro protótipo do PC-24, que também representa a configuração padrão da série, foi apresentada publicamente na EBACE. Seu vizinho de estande é a configuração interna “Vail” em tamanho real. Foram criados no total, seis interiores em parceria com a BMW Designworks, que receberam nome de conhecidas estações de esqui.

Até o presente, três protótipos totalizaram 950 voos em 1.525 horas. Os dados definitivos de desempenho do PC-24 serão publicados após sua certificação. O fabricante afirmou que o bijato vai superar as estimativas iniciais de desempenho com relação à velocidade de cruzeiro de 425 nós (790 km/h) e alcance de 1.800 mn (3.330 km) e ainda com relação às operações na pista. 

Fonte: http://aeromagazine.uol.com.br/artigo/pilatus-inicia-producao-do-jato-de-negocios-pc-24_3547.html#ixzz4iT5Dn4OK 



23/maio/2017 - Empresa de táxi-aéreo de Michael Klein estreia novo nome

A fusão da CB Air com a Global Aviation dá origem à Icon Aviation, com uma frota de 30 aeronaves

Aprovada pelas autoridades brasileiras no fim de 2016, a fusão da operadora de táxi-aéreo do empresário Michael Klein, a CB Air (do grupo CB), com a Global Aviation deu origem a uma nova marca. A empresa passa a ser chamada Icon Aviation. “Seremos o grande ícone do setor”, decreta Klein, presidente da companhia, que não esconde o objetivo estratégico da nova companhia: “Ser a melhor empresa de aviação executiva da América Latina”.

Com dois tons de azul, a nova identidade visual vai estampar aeronaves, espaços físicos, uniformes, material de comunicação e demais ativos da companhia. A mudança será gradual com prazo de um ano para a conclusão.  

[Colocar Alt]

 

Com previsão de faturamento em 2017 de R$ 160 milhões, a Icon oferece diversos servições na área de avião de negócios, como fretamento de aviões e helicópteros, gerenciamento, venda e aquisição de aeronaves, propriedade compartilhada, hangaragem e atendimento de pista. A empresa possui frota de 30 aeronaves, sendo 22 aviões e oito helicópteros, além de 10 hangares e 285 colaboradores.  

A nova marca reunirá todas as empresas de aviação que hoje integram o grupo: CB Air Táxi Aéreo Ltda., Global Táxi Aéreo Ltda., Pássaro Azul Táxi Aéreo Ltda., SSR Assessoria e Prestação de Serviços Ltda. e Segurança Táxi Aéreo Ltda.. Para definição do novo nome, foram entrevistados clientes, membros da diretoria e colaboradores, com o objetivo de entender às percepções em relação às duas companhias e às expectativas da fusão no mercado. 

“Está em curso a consolidação de uma nova cultura após a união das duas empresas. Já estamos há alguns meses realizando a integração de processos e equipes, otimizando recursos e planejando novos produtos para serem lançados ainda neste ano”, explica o executivo, que tem seu nome associado à consolidação da rede varejistas Casas Bahia. Fonte: : http://aeromagazine.uol.com.br/artigo/empresa-de-taxi-aereo-de-michael-klein-ganha-novo-nome_3551.html#ixzz4iT4hO8Hc 



16/maio/2017 - Avianca inaugura São Paulo-Navegantes com 3 voos diários

NAVEGANTES (SC) - Mais um destino nacional é contemplado pela Avianca Brasil. Após chegar a Foz do Iguaçu, e anunciar Miami e Santiago como primeiros destinos internacionais, dessa vez a aérea brasileira alcançou a cidade de Navegantes, vizinha da badalada Balneário Camboriú, em Santa Catarina.

O voo inaugural partiu na manhã desta segunda do aeroporto de Guarulhos com 125 passageiros a bordo, incluindo o VP da aérea, Tarcísio Gargioni, e diretor comercial, Rodrigo Napoli, com pouso às 9h35, dez minutos antes do previsto. E como de praxe, Gargioni pegou o microfone durante o voo de estreia da rota, agradecendo aos presentes e celebrando mais um destino da empresa, que chega a 233 voos com o novo trajeto.

Mesmo inaugurado hoje, a expectativa de ocupação já é alta, e segundo Napoli deve ser de cerca de 85%. Definido após um "longo estudo de mercado", o trajeto terá três voos diários durante a semana, caindo para dois aos sábados e domingos, e é realizado por um Airbus 320, com capacidade para 162 pessoas. Os voos são divididos durante o dia, com um matutino, um durante a tarde e outro no início da noite.

Tarcísio Gargioni discursa no voo inaugural

Tarcísio Gargioni discursa no voo inaugural

A aeronave utilizada na estreia, inclusive, é uma das seis da Avianca Brasil que já tem wi fi a bordo. Em discurso, o VP da aérea voltou a afirmar que a previsão é que, até o final do ano, 80% das aeronaves já possuam a internet sem fio.

POR QUE NAVEGANTES?
O objetivo com o novo voo, segundo o VP da aérea, é atingir todos os 50 municípios do Vale de Itajaí. “Se você olhar para todo o Estado de Santa Catarina, fica óbvio que o Vale de Itajaí, com toda sua estrutura econômica, chama atenção para seu potencial de mercado”, argumentou Gargioni, lembrando que a aérea já possui oito voos diários para a capital catarinense, Florianópolis, além de dois diários para Chapecó.

O VP comenta ainda que a outra opção cogitada no Estado era Joinville. “Optamos por Navegantes por ser possível atender a todos esses municípios, que se destacam tanto em Turismo de lazer quanto corporativo”, explicou, destacando o grande número de passageiros já no voo inaugural: foram 125, na aeronave com capacidade para 162 pessoas.

Confira abaixo tabela de horários do novo trajeto:

DiárioOrigemPartidaChegadaDestino
Diário Guarulhos 8h30 9h45 Navegantes
Diário Navegantes 10h20 11h35 Guarulhos
Segunda a Sexta Guarulhos 13h20 14h35 Navegantes
Segunda a Sexta Navegantes 15h05 16h20 Guarulhos
Diário Guarulhos 17h35 18h50 Navegantes
Diário Navegantes 20h00 21h15 Guarulhos

Rodrigo Napoli, diretor comercial da Avianca Brasil, em coletiva de imprensa junto a GargioniR

Rodrigo Napoli, diretor comercial da Avianca Brasil, emcoletiva de imprensa junto a Gargioni

Questionado quanto ao apelo turístico da cidade, Rodrigo Napoli explicou que embora as praias da região atraiam muitos viajantes a lazer, o que deve manter os voos cheios durante o ano todo é principalmente o mercado corporativo.

“O que acontece é que o Turismo de lazer aqui sofre uma grande sazonalidade: enquanto no verão as praias enchem, durante as demais estações a região tem temperaturas muito baixas, afastando os turistas da praia”, explicou Napoli. “O lado corporativo do Vale do Itajaí, por outro lado, é forte, e os viajantes a trabalho é que devem manter a regularidade nos voos da companhia durante o ano todo”, complementou, lembrando ainda que a região abriga um dos principais polos da indústria naval brasileira.

MAIS DOIS DESTINOS NO ANO
Gargioni levantou ainda a possibilidade de que dois novos destinos sejam lançados ainda este ano; porém, a falta de espaço nos aeroportos pode complicar os planos. "Quando consultamos os aeroportos de São Paulo verificamos a dificuldade em conseguir espaços disponíveis para novos voos. Congonhas é praticamente impossível", lamentou.

Um dos destinos que pode surgir é Bogotá, onde está localizado o hub da Avianca Holdings. O diretor do grupo colombiano para o Brasil, Ian Gillespie, inclusive, esteve presente no voo de estreia para Navegantes, junto a Gargioni e Napoli, levantando a hipótese ainda de uma aproximação entre as empresas aéreas brasileira e colombiana. Uma fusão entre as duas, inclusive, já foi comentada pelo fundador da Avianca Brasil, José Efromovich. Fonte: Panrotas



16/maio/2017 - Aeroporto de Jericoacoara tem nova data de inauguração

Após alguns adiamentos, a cidade de Jijoca de Jericoacoara (CE) já tem uma nova data de abertura do seu aeroporto: 24 de junho. Segundo o Departamento Estadual de Rodovias do Ceará (DER), a inauguração será marcada por um voo charter da Gol a serviço da CVC.

A confirmação vem, porém, antes de a certificação da Anac autorizar o início das operações. O reabertura era prevista para abril, porém a agência questionou o Nível de Proteção Contraincêndio Existente (NPCE) do aeroporto.

Governo do Ceará / Carlos Gibaja
O relatório em resposta às não-conformidades apresentadas já foi enviado para a AnacO relatório em resposta às não-conformidades apresentadas já foi enviado para a Anac

"Na terça-feira passada nós já protocolamos a documentação em resposta à Anac", frisou o assessor de Infraestrutura do DER, Paulo Edson. Segundo ele, o relatório, composto também por materiais audiovisuais com a simulação de acidentes, deverá ser respondido até o início da próxima semana.

Ao Portal PANROTAS, a Anac afirma que o material segue em análise e que não há um prazo definido para a certificação ser liberada.

AGUARDANDO PELA ANAC
Enquanto a certificação da Anac não autoriza a abertura do aeroporto, companhias aéreas e operadoras adiam as operações. A Azul destaca que, caso a autorização saia nas próximas semanas, iniciará as operações em 1º de julho. A companhia, que foi a primeira a anunciar voos diretos para Jericoacoara, terá voos diretos a partir de São Paulo, Belo Horizonte e Recife.

A Gol, que deverá ser responsável pelo voo inaugural junto com a CVC em junho, também destaca que a partir de julho, caso a aprovação chegue, iniciará operações normais ao destino. A aérea terá voos a partir de São Paulo.

Já a operadora também destaca a espera pela Anac para iniciar as vendas de pacotes a Jericoacoara com voos diretos. "A CVC só pode iniciar a comercialização dos pacotes em voos fretados quando o aeroporto estiver aprovado", pontuou a assessoria da operadora.

Uma aérea que até então não havia sido mencionada foi lembrada pelo assessor de infraestrutura. "A Latam também tem a intenção de operar em Jericoacoara. Sabemos que ela já estuda sua malha aérea e, em breve, também deverá solicitar a aprovação da Anac."

Ao Portal PANROTAS, a Latam explica que está atenta às necessidades dos clientes e os voos são constantemente avaliados conforme a demanda de cada região. "No momento, não estão previstos voos para o Aeroporto de Jericoacoara", pontua a aérea. Fonte: Panrotas



10/maio/2017 - Aeroporto de Navegantes será ampliado neste ano

Foto: Lucas Correia

Foto: Lucas Correia

Estimular o crescimento do Aeroporto Internacional Ministro Victor Konder, em Navegantes, é o principal objetivo do projeto de ampliação que será apresentado hoje à tarde pela Infraero. Os detalhes serão divulgados por representantes da Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária que vêm de Brasília especialmente para o evento, agendado para as 15h no auditório do Centro Integrado de Cultura.

O terminal de passageiros, por exemplo, será ampliado em cerca de 50%. Um novo terminal de cargas deve ser construído, assim como um hotel e um edifício-garagem. Espera-se que a prefeitura pegue carona e anuncie também melhoria no acesso ao aeroporto.

A obras devem começar ainda neste ano, segundo o superintendente da Infraero em Navegantes, Luciano Segura. Oficializar e apresentar os projetos publicamente é o passo anterior ao lançamento dos editais de licitação e não deixa de ser uma resposta ao pedido do prefeito Emílio Vieira -  e do apoio do governador Raimundo Colombo – para que o aeroporto seja incluído no próximo lote de concessões à iniciativa privada. Segura diz que a concessão é inviável, já que seriam necessários mais de R$ 700 milhões para construir uma nova pista e um novo terminal, projeto que em quatro anos poderá começar a sair do papel pelas mãos da própria Infraero.

Fonte: http://wp.clicrbs.com.br/pancho/2017/05/08/aeroporto-de-navegantes-sera-ampliado-neste-ano/?topo=52%2C2%2C18%2C%2C159%2C77



02/maio/2017 - Anac libera uso de drones; será preciso habilitação para equipamentos maiores

Agência aprovou nesta terça regulamento para uso de aeronaves remotamente pilotadas. Habilitação será necessária para equipamentos com mais de 25 kg.



24/abril/2017 - PR-SDW: PRIMEIRO 737 "FULL PAX" DA SIDERAL

Site AeroEntusiasta ©  AE 012/17

Boeing 737-300 ex. China Southern Airlines (cn 27273), chegou ao Brasil no último dia 06/ABR em voo de translado desde Miami (MIA) até o Rio de Janeiro (GIG), com escala técnica em Paramaribo (PBM). Ostentando basic colors do seu antigo operador chinês, este é o primeiro jato "full pax" da SIDERAL (PR-SDW).

Na noite da quinta-feira (20/ABR), o "SDW" foi transladado para os hangares da Rio Cargo em Curitiba (CWB), onde será configurado no padrão do novo operador.  

Todos os Boeings da Sideral:

  • 737-300: PR-SDW (cn 27273)
  • 737-300F: PR-SDL (24060) / PR-SDF (27347)
  • 737-300QC: PR-SDG (25426) / PR-SDO (26851)
  • 737-400F: PR-SDJ (24906) / PR-SDU (24808) / PR-SDV (25377) / PR-SDT (26530) / PR-SDM (24690) / PP-WSA (25375)
  • 727-200F: PR-IOB (22983) / PR-IOC (22984)

Outras notícias sobre a SIDERAL AIR CARGO:

( Foto: Maycon Jorge | Equipe GIG AO VIVO © GIG 20/04/2017 )


17/abril/2017 - United Airlines muda políticas após expulsão violenta de passageiro

David Dao sofreu uma contusão cerebral, uma rutura nasal e perdeu dois dentes quando foi expulso do avião pela tripulação, porque o voo estava cheio

A transportadora aérea norte-americana United Airlines anunciou, no domingo, que começou a modificar algumas políticas após a polémica em torno da violenta expulsão de um passageiro de um dos seus aviões.


"Atualizámos a nossa política para assegurarmos que a tripulação que viaja nos nossos aviões faça a reserva pelo menos 60 minutos antes da partida", disse a porta-voz da companhia aérea, Maggie Schmerin, numa nota enviada ao jornal The New York Times.


"Este é um dos passos iniciais na revisão das nossas políticas", para que episódios como o de 09 de abril "nunca voltem a acontecer", disse.


Schmerin sublinhou o anúncio do diretor executivo da United, Oscar Muñoz, de que não voltará a recorrer a polícias para retirar passageiros dos aviões se estes não representarem uma ameaça iminente.


O passageiro David Dao, expulso de forma violenta há uma semana de um voo da United Airlines, responsabiliza a transportadora pelos ferimentos sofridos durante o incidente: uma contusão cerebral, uma rutura nasal e a perda de dois dentes.


Dao, que quer processar a companhia, foi retirado à força do lugar num voo da United entre Chicago (Illinois) e Louisville (Kentucky), a 09 de abril, depois de se ter recusado a abandonar o avião para ceder espaço à tripulação, de acordo com imagens captadas por outros passageiros.


O passageiro, um médico de 69 anos, explicou que necessitava de viajar naquele voo para atender pacientes no dia seguinte, quando a companhia o escolheu à sorte para abandonar o avião, após constatar que não havia voluntários para apanhar outra ligação, em troca de uma compensação.


Fonte: http://www.dn.pt/mundo/interior/united-airlines-muda-politicas-apos-expulsao-violenta-de-passageiro-6224774.html



11/abril/2017 - Com abertura de capital da Azul, mercado de ações ensaia retomada de IPOs

Azul é a terceira empresa a estrear na bolsa paulista neste ano. De 2014 a 2016 foram apenas 3 aberturas contra 25 fechamentos de capital.

Depois de 3 anos de represamentos e desistências de oferta pública inicial de ações (IPO, na sigla em inglês), o mercado de ações brasileiro começa a ensaiar uma retomada com uma nova leva de de empresas que estão abrindo o seu capital e se listando na B3 – novo nome da bolsa paulista após a fusão da BMF&Bovespa com a Cetip.

De 2014 a 2016, apenas três IPOs foram feitos no Brasil (Ourofino, Par Corretora e Alliar) em meio à maré baixa da economia, enquanto 25 empresas saíram do mercado de ações. Os registros de cancelamento, chamados de ofertas públicas de aquisição (OPAs), bateram recorde em 2016. Foram 13, entre eles os da Arteris, Banco Sofisa, Alpargatas e Whirlpool, dona das marcas Brastemp e Consul.

 (Foto: Arte/G1)

(Foto: Arte/G1)

Em 2017, com o início das negociações de ações da Azul na Bolsa, já são 3 IPOs no ano – igualando o número de aberturas de capital registrado nos últimos 3 anos.

A oferta de ações na bolsa de valores é um dos caminhos das empresas para se capitalizarem e conseguirem financiar sua expansão ou pegar recursos para pagar dívidas mais caras, por exemplo. Na prática, os sócios cedem uma parte da empresa a investidores em troca de capital.

 

Três ofertas 

Depois de 3 tentativas abortadas, a Azul conseguiu levantar R$ 2,02 bilhões na sua oferta inicial de ações. Até então, os IPOs da Smiles (R$ 1,13 bilhão) e do BB Seguridade (R$ 11,47 bilhões), ocorridos em abril de 2013, tinham sido os últimos a ter superado a marca de R$ 1 bilhão em recursos captados.

Fonte: http://g1.globo.com/economia/mercados/noticia/com-abertura-de-capital-da-azul-mercado-de-acoes-ensaia-retomada-de-ipos.ghtml



10/março/2017 - Comunicações por satélite geram economia de US$ 3 bi

Estudo calcula benefícios entre 2001 e 2016

Comunicações via satélite (satcom) na cabine de comando das aeronaves ajudaram companhias aéreas a economizarem mais de US$ 3 bilhões entre 2001 e 2016, aponta estudo realizado pela consultoria de aviação Helios, e Inmarsat, provedora de serviços de comunicações móveis por satélite.


Satcom é o uso de serviços de voz e dados via satélite para a comunicação com aeronaves fora da faixa de radares terrestres convencionais e de estações de Frequência Muito Alta (Very High Frequency – VHF), como em regiões oceânicas. É tipicamente utilizada para controle e operações aéreas.


O estudo mostra que o benefício de apenas um mecanismo de Controle de Tráfego Aéreo (ATC) – a redução das separações mínimas, que permite que as aeronaves voem mais perto umas das outras em segurança – foi responsável por uma economia de US$ 890 milhões.


Com a tecnologia satcom, as aeronaves podem voar a 30 milhas náuticas umas das outras, com o uso de comunicações e rastreamento seguros e confiáveis – anteriormente as aeronaves eram obrigadas a manter uma separação de 100 milhas náuticas entre si. O fato de mais aeronaves poderem voar em um determinado espaço aéreo é vantajoso nos movimentados céus: se uma aeronave não estiver equipada com capacidade de comunicação por satélite, ela precisará manter a distância mínima de 100 milhas náuticas e não será autorizada a voar em determinadas áreas.


O aumento da capacidade do espaço aéreo também leva a mais aeronaves poderem escolher níveis de voo otimizados, economizando tempo e combustível.


Uma economia adicional de US$ 1,9 bilhão é proporcionada graças à habilidade das aeronaves de se comunicarem com o Centro de Operações Aéreas (AOC). Os aplicativos de AOC utilizam informações em tempo real para ajudar as companhias aéreas a melhorarem a segurança dos voos ou a prestar um serviço mais eficiente a um custo menor.


A conectividade de banda larga também ajudará a atender às demandas urgentes do ATC, à medida que os nossos céus comportam cada vez mais tráfego. Até 2030, haverá mais passageiros no céu por ano (7 bilhões) do que pessoas no chão hoje. Eles voarão em 40 mil aeronaves, a maioria das quais estará conectada.


Fonte: http://www.itforum365.com.br/conectividade/redes-e-comunicacoes/aviacao-comunicacoes-por-satelite-geram-economia-de-ate-us-3-bi



10/março/2017 - Azul publica sua nova política de bagagem despachada

A Azul continuará oferecendo normalmente a franquia de bagagens de 23 kg em seus voos domésticos e manterá os preços das passagens aéreas praticados atualmente. No entanto, a companhia terá uma nova opção de tarifa – que será introduzida gradativamente para os mercados onde a empresa opera no Brasil, a partir da próxima terça-feira (14/3) – com preços reduzidos para quem não despacha bagagens. Além disso, passa a valer a regra para embarque com bagagens de mão de até 10 kg em todos os voos da empresa.

Entenda como funcionarão as tarifas da Azul nos voos domésticos


Agora, as passagens da Azul estarão classificadas em duas categorias: a “MaisAzul” e a “Azul”.


A categoria MaisAzul mantém a prática tarifária atual, incluindo franquia de 23 kg de bagagem e sempre estará disponível para compra. E, ainda, o Cliente poderá levar o dobro do peso que levava antes na bagagem de mão.


Ao optar pela categoria Azul, que é a nova opção, o Cliente pagará mais barato pela passagem na comparação com a tarifa MaisAzul e poderá escolher pela compra ou não do serviço de bagagem despachada. Nessa modalidade, se o Cliente mudar de ideia, poderá incluir os 23 kg de bagagem, a qualquer momento, por apenas R$ 30,00.  Caso o Cliente ultrapasse essa cota de 23 kg, será mantida a atual cobrança por quilo excedente.


A partir da próxima terça (14/03), mais de 16 cidades partindo de Campinas já contarão com tarifas reduzidas nessa categoria. Algumas cidades com voos saindo de Campinas já contarão com tarifas reduzidas a partir de amanhã. As passagens estarão disponíveis para compra com antecedência mínima de 28 dias. Confira regras no site da Azul. São elas: Rio de Janeiro (SDU), Curitiba, Porto Alegre, Belo Horizonte, Vitória, Florianópolis, Jaguaruna, Lages, Londrina, Maringá, Navegantes, Passo Fundo, Chapecó, Cascavel, Divinópolis e Ponta Grossa.


Operações Internacionais


Seguindo as práticas internacionais de mercado, o volume de bagagem despachada para voos com destino aos EUA e Europa também passa a ser diferente a partir da próxima terça-feira (14/03). Os Clientes com bilhetes adquiridos para as classes Econonomy e Economy Extra terão direito ao despacho de dois volumes de 23 kg cada e, os Clientes da Azul Business, poderão despachar três volumes de 23 kg cada. O número de volumes não muda em relação ao que a Azul já praticava. A diferença está no peso máximo permitido para cada volume, que agora se enquadra nos padrões internacionais. Ainda, caso o cliente queira despachar um ou mais volumes extras, a companhia reduzirá o valor do volume extra de US$ 150 para US$ 100 por volume.


Para os voos na América do Sul, a companhia terá por regra o despacho de um volume de até 23 kg de bagagem por Cliente. Caso o Cliente queira levar um ou mais volumes extras, a companhia passará a cobrar o valor de US$ 50 por volume, o que representa uma redução no valor pago atualmente na forma de quilogramas.


Programa de vantagens TudoAzul


Para os Clientes Safira e Diamante no Programa TudoAzul existem algumas vantagens e diferenciais adicionais:


Voos Domésticos


Clientes Diamante e Safira que compram a Tarifa Azul garantem o melhor preço e, ainda, poderão despachar 23 kg de bagagem gratuitamente. E, como hoje, Clientes TudoAzul Topázio, Safira e Diamante contam com 5 kg, 10 kg e 15 kg de bagagem extra, respectivamente.


Voos Internacionais


Clientes Diamante terão direito a um volume extra de 23 kg quando comprarem as classes Economy e Economy Extra.


Fonte: http://passageirodeprimeira.com/azul_politica_bagagem/



08/março/2017 - Bell anuncia helicóptero com propulsão híbrida e sem rotor de cauda

Sistema inédito possui motor elétrico que aciona múltiplos fans, na parte traseira da fuselagem

Bell Helicopter revelou sua visão de futuro com a aeronave conceito FCX-001 de decolagem vertical na Heli-Expo 2017, que está sendo realizada em Dallas, Texas. O FCX-001 foi inspirado nos carros-conceito produzidos pelos fabricantes de automóveis.

Apresentada no estande da Bell tanto na forma de um modelo em escala natural quanto em realidade virtual a aeronave bimotora de médio porte incorpora algumas tecnologias atualmente em desenvolvimento na Bell e que provavelmente amadurecerão em um futuro próximo, alguns bem ambiciosos como evidenciado por um cockpit totalmente livre de controles físicos.   

Dentre os elementos mais notáveis no projeto do FCX-001 destacam-se o inédito sistema antitorque acionado por fans embutidos na parte traseira da fuselagem, a propulsão híbrida, as pás do rotor principal que poderão mudar de ângulo (como as asas dos aviões de geometria variável) diminuindo o ruído, o uso extensivo de vidro na fuselagem, as portas tipo asa de gaivota e o revolucionário sistema de controle da aeronave. 

No teto da larga cabine, que na Heli-Expo está configurada para oito passageiros, mas é capaz de acomodar até 12, a Bell concebeu um revolucionário sistema que permitirá a máxima personalização e conforto para os passageiros, ajustando a iluminação e a temperatura. O conceito prevê módulos que fornecerão a capacidade dos passageiros ajustarem suas respectivas iluminação e temperatura. 

"Este é um Bell diferente, para irmos a um lugar diferente” disse o CEO da Bell, Mitch Snyder “e sem mostrar tudo apresentamos uma ideia das tecnologias em que estamos trabalhando”, completou o executivo, que acrescentou: algumas amadurecerão antes que as outras, mas o principal é que estamos mostrando um visual revolucionário e uma ideia de onde a Bell pretende chegar, oferecendo uma operação mais autônoma, uma notável redução do ruído e uma nova experiência de viajar para os passageiros. 

Uma observação mais detalhada do projeto do FCX-001, começa, sem dúvida pela parte traseira da fuselagem, que não tem rotor de cauda – uma notável característica, vindo da Bell. No seu lugar, o antitorque é proporcionado por vários fans instalados na parte traseira da fuselagem. O sistema fornece a capacidade de empurrar o ar em qualquer direção, e também terá controle de vetor de impulso, permitindo-lhe renunciar, também, a um estabilizador horizontal. Alimentando esse sistema antitorque há um motor elétrico, que é parte do sistema de propulsão híbrido. 

A célula em si, é também muito diferente a qualquer outra coisa feita antes pela Bell. Em termos de escala, o FCX-001 é ligeiramente maior que um Bell 412, em termos de comprimento e largura, mas as suas linhas e o uso extensivo de partes transparentes apresentarão alguns desafios na produção, com uma alta dependência de materiais compostos. 

Dentro, do FCX-001 há lugar para apenas um piloto. "Só um, o que é bastante incomum, mas queremos mostrar uma visão de futuro com ampla assistência da informática e da inteligência artificial" afirmou Snyder. 

À frente do piloto há um amplo campo de visão sem nenhum tipo de tela ou comando. Essas informações serão fornecidas sob a forma de realidade aumentada, em que um piloto usando um capacete, será capaz de criar seu próprio espaço de trabalho. A ideia é que o capacete seja capaz de reconhecer as mãos do piloto no espaço, permitindo-lhes criar e mover telas diferentes dentro do cockpit, e até mesmo fixá-los em determinados pontos no espaço para que eles não se desloquem quando o piloto movimente a cabeça.

É um conceito interessante, porque o piloto pode personalizar sua plataforma de voo, puxar os controles quando precisar deles, ou definir diretivas automatizadas e apenas obter o feedback em vez de sempre desordenar sua tela. Os Microsoft HoloLens são um bom exemplo que existe hoje, mas obviamente, a Bell espera que a tecnologia também avance e possa trabalhar com seus sistemas de voo. Mas até que ponto podem chegar essas tecnologias? É muito parecido com um carro conceito. As tecnologias deverão surgir mais cedo ou mais tarde. 

“Nós queremos ser diferentes. Nós podemos ser o futuro. Fomos pioneiros no passado e como líderes, pretendemos levar a tecnologia a um novo patamar”, declarou Mitch Snyder.

Fonte: http://aeromagazine.uol.com.br/artigo/bell-anuncia-novo-helicoptero-com-propulsao-hibrida-e-sem-rotor-de-cauda_3282.html#ixzz4apPQe6Sb 



08/março/2017 - Airbus apresenta módulo de transporte por terra e ar

O pioneiro e conceitual Pop.Up foi apresentado durante o 87º Salão Internacional de Automóveis em Genebra

Durante a edição do 87º Salão Internacional de Automóveis em Genebra, Italdesign e Airbus apresentam o Pop.Up, o primeiro sistema conceitual de transporte modular, totalmente elétrico e com zero emissões, projetado para descongestionar o tráfego nas grandes cidades. O Pop.Up foi concebido como um sistema modular para o transporte multimodal que utiliza tanto o espaço aéreo quanto o terrestre.

Este conceito que agora já é realidade é resultado de uma ideia em conjunto entre Italdesign e Airbus, que pretendiam superar os desafios que envolvem a mobilidade nas grandes cidades por meio de uma solução que resultasse em uma maior acessibilidade para a maioria da população, um dos maiores problemas para os passageiros nas grandes cidades do mundo. Com a previsão de um grande aumento dos congestionamentos até 2030, ambas empresas decidiram combinar seus conhecimentos técnicos de engenharia para encontrar a melhor forma de desenvolver um sistema de mobilidade urbana sustentável, modular e multimodal.


Assim surgiu o conceito Pop.Up, que é composto por três elementos:

  • Uma plataforma de inteligência artificial que, a partir dos conhecimentos do usuário, gerencia as questões mais complexas das viagens oferecendo cenários de usos alternativos e garantindo uma viagem sem interrupções.
  • Um veículo em forma de cápsula projetado para ser acoplado a dois módulos de propulsão elétrica independentes (o módulo terrestre e o módulo aéreo). A cápsula Pop.Up também pode se integrar a outros meios de transporte público (trens ou hyperloops, por exemplo).
  • Um módulo de interface que se comunica com os usuários em um ambiente totalmente virtual.

O sistema Pop.Up pretende fazer com que os passageiros ganhem tempo graças a uma nova forma flexível, comum e adaptável de se mover entre as cidades, que introduz um novo conceito de sistema de transporte focado nos usuários. 

O veículo Pop.Up combina a flexibilidade de um veículo terrestre pequeno de dois assentos com toda a liberdade e velocidade de um veículo aéreo, com decolagens e aterrissagens verticais, juntando as esferas aeroespacial e automobilística.

O modus operandi do Pop.Up é simples: os passageiros planejam seu trajeto e reservam a viagem por meio de um aplicativo fácil de usar. Automaticamente, o sistema sugere a melhor opção de transporte – de acordo com os conhecimentos do usuário, os horários, o congestionamento do tráfego, custos e a demanda por veículos compartilhados – juntando o módulo aéreo, terrestre e outros meios de transporte à cápsula do passageiro, segundo suas preferências e necessidades.

O elemento essencial deste conceito é a cápsula, que foi especialmente projetada para acomodar os passageiros. Essa cabine de fibra de carbono e tecnologia de ponta mede 2,6 metros de largura, 1,4 metros de altura e 1,5 metros de diâmetro. Acoplada ao módulo terrestre, a cápsula se transforma por si só em um carro de passeio que conta com um chassi de fibra de carbono e é carregado por uma bateria.
 
Para viagens nas grandes cidades onde existem grandes congestionamentos, a cápsula se desconecta do módulo terrestre e é carregada pelo módulo aéreo de 5 por 4,4 metros impulsionado por oito motores rotativos. Nesta configuração, o Pop.Up se transforma em um veículo aéreo urbano com piloto automático que aproveita a terceira dimensão para chegar do ponto A ao B de uma forma eficiente, enquanto evita congestionamentos no solo.

Quando os passageiros chegarem a seu destino, os módulos aéreo e terrestre e a cápsula voltarão sozinhos às estações de recarga para esperar os próximos clientes.

Devido à possibilidade de combinar a cápsula com outros meios de transporte, o Pop.Up oferece uma experiência de viagem sem interrupções. O usuário pode permanecer durante toda a viagem dentro da mesma cápsula sem ter que se preocupar em trocar de meios de transporte, podendo aproveitar todo o tempo de viagem, graças a interação em tempo real entre a cápsula, o ambiente urbano e comunidades.

Airbus, líder do setor aeroespacial, aproveita seus amplos conhecimentos técnicos para desenvolver ativamente diferentes conceitos inovadores que contribuirão para o descongestionamento do tráfego urbano. “Não há dúvida que adicionar a terceira dimensão às redes de transporte multimodais sem interrupções melhorará a forma com que vivemos e como nos deslocamos de um ponto ao outro”, afirmou Mathias Thomsen, gerente da Urban Air Mobility na Airbus, no momento da apresentação. “Projetar e aplicar corretamente soluções que servirão tanto para o espaço aéreo quanto para o terrestre exige uma reflexão em conjunto entre os setores aeroespacial e automobilístico, assim como uma estreita colaboração com os órgãos locais do governo para desenvolver as infraestruturas e quadros regulatórios necessários. Italdesign, com seu grande histórico de projetos excepcionais de veículos, é um sócio muito valioso para a Airbus no marco desse projeto exclusivo e conceitual”. 

“Italdesign é uma empresa criada para prestar serviços e oferecer soluções de mobilidade as partes interessadas em todo o mundo. A busca por soluções de última geração está profundamente inserida em nosso DNA”, afirma Jörg Astalosch, CEO da Italdesign. “Atualmente, os veículos fazem parte de um ecossistema muito mais amplo: se quisermos projetar um veículo urbano do futuro, o carro tradicional não pode ser a única solução para as grandes cidades. Também é necessário pensar nas infraestruturas sustentáveis e inteligentes, nos aplicativos, na integração, nos sistemas de alimentação, no planejamento urbano, nos aspectos sociais, entre muitos outros assuntos. Nos próximos anos, o transporte terrestre avançará para um próximo nível e, além de ser comum, autônomo e conectado, passará também a ser multimodal e usará também a terceira dimensão”, continua Astalosch. “Na Airbus, empresa líder no setor aeroespacial, encontramos um sócio ideal que compartilha nossa visão moderna sobre o futuro nas grandes cidades para desenvolver uma ideia multimodal e sustentável de transporte”, conclui.

Fonte: http://aeromagazine.uol.com.br/artigo/italdesign-e-airbus-apresentam-o-pop-sistema-pioneiro-e-conceitual-de-transporte-de-passageiros-por-terra-e-ar_3284.html#ixzz4apOcXIEG 



08/março/2017 - Boeing apresenta primeiro 737 MAX 9

Aeronave tem primeiro voo programado para os próximos meses e entrega comercial a partir de 2018

A Boeing anunciou hoje mais um marco ao apresentar o primeiro 737 MAX 9. De acordo com o cronograma inicial da companhia, a aeronave foi exibida diante de milhares de funcionários na fábrica da Boeing em Renton, no estado de Washington, Estados Unidos. O modelo é o segundo e maior membro da família de aeronaves 737 MAX, tem alcance de 6.500 km (3.515 milhas náuticas) e pode transportar 220 passageiros. 

Após sua apresentação, o avião passará por processos de verificação de sistemas de voo, de reabastecimento e de motores. Uma vez concluído, o modelo seguirá para a etapa de voos de testes, processo programado para os próximos meses e que consiste na fase final de verificação das características operacionais e de desempenho geral de toda nova aeronave. 

“O time do 737 MAX continua a desenvolver um trabalho fantástico ao nos permitir alcançar esses marcos dentro do cronograma estabelecido”, celebra Keith Leverkuhn, vice-presidente e gerente geral do programa 737, da Boeing Aviação Comercial. “Nosso foco primário é a entrega de uma aeronave que mantenha a confiabilidade lendária que nossos clientes de 737 conhecem, unindo a tudo isso a flexibilidade otimizada e a capacidade de alcance que eles desejam”.

O 737 MAX 9 deverá entrar em operação em 2018, tendo como primeiro cliente a companhia aérea indonésia Lion Air. Paralelamente, o 737 MAX 8 segue o cronograma estabelecido e tem sua primeira entrega programada para este ano – no Brasil, o primeiro será entregue à GOL em 2018. 

A família 737 MAX foi desenvolvida para oferecer aos seus operadores flexibilidade, eficiência e desempenho acima da média, aliando a esses pontos menor custo por assento e autonomia de voo capaz de criar novas rotas no mercado de aeronaves de corredor único (single-aisle). Os 737 MAX 8 e 9 serão seguidos pelo 737 MAX 7 em 2019 e pelo modelo de maior capacidade MAX 200, enquanto estudos e discussões seguem em andamento com os clientes da Boeing a fim de expandir a família de aeronaves. 

A família 737 MAX é a que registra venda mais rápida em toda a história da Boeing, tendo até o momento acumulado mais de 3.600 pedidos de 83 clientes em todo o mundo.

Fonte: http://aeromagazine.uol.com.br/artigo/boeing-apresenta-primeiro-737-max-9_3283.html#ixzz4apOLeiyb 



08/março/2017 - Europa aprova o voo monomotor IFR noturno

Uma decisão da União Europeia aguardada ansiosamente

Em Bruxelas, a Associação de Fabricantes da Aviação Geral (GAMA) celebrou a aprovação, pela União Europeia (EU), as operações de transporte aéreo comercial (CAT) utilizando aeronaves monomotoras a turbina à noite ou em condições meteorológicas por instrumentos (IMC). A decisão abre novos mercados e deve aumentar a conectividade no continente europeu.

A aceitação, pela EU das operações CAT vinha sendo aguardada ansiosamente, principalmente pela GAMA, sendo fruto de estudos detalhados de segurança. A medida vai facilitar – em muito – o transporte noturno de cargas e a ligação com as mais remotas regiões da Europa. A EASA foi uma das grandes responsáveis pela condução do processo.

Fonte: http://aeromagazine.uol.com.br/artigo/europa-aprova-o-voo-monomotor-ifr-noturno_3273.html#ixzz4apARk4T5 



08/março/2017 - Helicóptero da Bell preparado para o reinício dos voos

Programa de ensaios havia sido abandonado após acidente em julho

A aeronave 003 do Bell 525 Relentless está sendo preparada pela Bell Helicopter para reiniciar o programa de ensaios em voo que havia sido interrompido em julho passado em decorrência de um grave acidente em Italy, Texas. A sequência dos testes deve ser iniciada “nos próximos meses” segundo a Bell.

As aeronaves 004 e 005, as primeiras de produção do 525, estão sendo fabricadas e se juntarão ao programa em meados do ano ou no terceiro trimestre. A Bell reconstruiu o protótipo 001 que também participará do programa de ensaios em voo, somando então 4 Relentless.

Os 525 que voaram totalizaram quase 200 horas e alguns testes no solo que estão sendo realizados, adiantam o programa sem a necessidade de voar.

Fonte: http://aeromagazine.uol.com.br/artigo/helicoptero-da-bell-preparado-para-o-reinicio-dos-voos_3279.html#ixzz4apAGLFyf 



08/março/2017 - Comunicação por texto entre centros de controle do tráfego aéreo começa a se difundir

A tecnologia da comunicação digitalizada Data Comm de próxima geração, entre os Centros de Controle do Tráfego Aéreo (ATC) está ajudando a “dar apoio à segurança de voo e reduzir atrasos nas partidas de aeronaves” no Miami International Airport, conforme relatórios do FAA. 

A nova tecnologia complementa a comunicação por voz ao permitir tanto aos controladores como aos pilotos, transmitir e receber informações importantes como liberações de operação, frequências, revisão de planos de voo e avisos, via mensagens de texto ao “toque de um botão”. Uma prática mais que conhecida e utilizada por milhares de usuários de celulares, mundo afora (texting). 

Para a FAA, Data Comm ajuda a manter as aeronaves em sua posição exata “na fila de espera para a decolagem” e, inclusive, passar à frente das outras, conforme determinação do ATC. A nova modalidade de comunicação elimina virtualmente os erros cometidos pela repetição exaustiva das mensagens de voz.  

Com a adesão do ATC no Miami International, chega a 55 o número de torres de controle de aeroportos que operam com o Data Comm.  

A Harris Corp. que conquistou o contrato do FAA para o programa Data Comm, afirma que 23.000 voos diários já se utilizam da nova tecnologia.

Fonte: http://aeromagazine.uol.com.br/artigo/comunicacao-por-texto-entre-centros-de-controle-do-trafego-aereo-comeca-se-difundir_3286.html#ixzz4ap9xKNve